quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Palestra Motivacional é Melhor que Palestra "Desmotivacional"

Palestra Motivacional é Melhor que Palestra "Desmotivacional"

Eu vejo muita gente por aí que torce o nariz ou faz chacota com livros de autoajuda ou palestras motivacionais. Geralmente dizem que esse tipo de conteúdo é caça-níquel e que não tem efeitos práticos na vida.

Em parte eu posso até concordar, tem gente que usa os conteúdos motivacionais como uma forma de fuga, pessoas que se viciam em consumir esse tipo de conteúdo para viver a ilusão que está se tornando uma pessoa melhor, que está melhorando a sua vida, sem, contudo, colocar em execução qualquer projeto ou mudança de comportamento que efetivamente faça alguma diferença.

Entretanto, me parece irônico que tanta gente torça o nariz para conteúdos motivacionais mas, por outro lado, deem todos os ouvidos para conteúdos “desmotivacionais”. Na verdade eu até sei o motivo disso: as “palestras desmotivacionais” que ouvimos geralmente veem de pessoas próximas a nós, que, pelo menos em tese, querem o nosso bem, por isso exercem tanta influência na nossa vida.

Por exemplo, quando você começa a conversar de investimentos e independência financeira com alguém próximo (cônjuge, amigo, pais, parente, etc) essa pessoa pode dizer que “isso é besteira, tem que viver a vida, ninguém sabe o que vai acontecer amanhã, isso é pra quem tem muito dinheiro, etc”.

Ou então você decidiu investir num negócio online buscando ser uma autoridade em alguma área que você manja e quem sabe ganhar dinheiro com consultorias, mentorias, cursos, etc. Mais uma vez alguém próximo vai dizer: “esse negócio de ser "blogueiro" não dá dinheiro, já tem muita gente melhor que você fazendo isso, pra ensinar isso você precisa ter um pós-doutorado, etc”.

Ou você decidiu começar a praticar um esporte e, mais uma vez, pessoas próximas dizem: “você não tem porte físico pra esse esporte, esse esporte tem muita lesão, você nem tá ganhando dinheiro com isso, etc”.


Palestra Motivacional é Melhor que Palestra "Desmotivacional"




Eu podia dar inúmeros exemplos de “palestras desmotivacionais” que comumente ouvimos de amigos, cônjuges, pais, parentes, etc.

Por gostarmos dessas pessoas e acreditarmos que elas estão pensando no nosso bem, temos a tendência de dar muita importância a esse tipo de “conselho”, muito mais do que deveríamos. Porém poucas pessoas conseguem enxergar realmente o que acontece que é um choque de valores. Se você preza pelos valores “liberdade e independência” vai, invariavelmente, entrar em choque com uma pessoa que tem forte os valores “segurança e estabilidade”.

Então se um pai quer apoiar o filho a ser independente, empreendedor, ficar longe de concursos públicos, ou sequer fazer faculdade, e a mãe, por sua vez, quer que esse mesmo filho passe na melhor universidade pública e passe no melhor concurso público, para ter bom salário e estabilidade, o que está acontecendo ai é um choque de valores.

É por isso que um velho jargão do mundo de autoajuda faz tanto sentido:

NÃO LIGUE PARA A OPINIÃO DOS OUTROS!!!

Na prática não dá pra ignorar totalmente a opinião dos outros, principalmente de pessoas importantes, caso contrário seríamos apenas idiotas antissociais e egoístas. Porém, acima de tudo, precisamos buscar a nossa individualidade, de fazer o que acreditamos, mesmo que seja passando por cima ou ignorando a opinião de pessoas importantes.

Mesmo que não dê certo e aquela pessoa fale “viu só? Eu te avisei”, não importa! Se acreditamos em algo e se esse algo está alinhado com nossos valores e projetos de vida, vale o risco. Se não der certo, é aprendizado!

Nesses momentos, a opinião de pessoas que tem os mesmos valores que a gente, mesmo que seja um total desconhecido - como um autor de livros de autoajuda, um palestrante motivacional, alguém que você conheceu em uma conferência de negócios, ou alguns blogueiros com endereço blogspot.com - vale muito mais que a opinião da sua esposa(o), namorada(a), pais ou amigos.

Abraços,

Senhor Ministro

17 comentários:

  1. Excelente post Ministro!

    Por falar em motivacional, já viu o Calendário Motivacional para Finanças Pessoais 2019 do Poupador?

    Se não viu ainda, corre lá ver: Calendário Motivacional do Poupador 2019. É só fazer o download e imprimir para você ter o controle total das suas finanças em 2019!

    Forte abraço e viva o progresso! Viva mais você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Poupador!

      Parabéns pela iniciativa!

      Abraço!

      Excluir
    2. Valeu Sr. Ministro! Faça bom proveito!
      Que seja útil para muita gente!
      Grande abraço e apareça também lá no Sou Poupador!

      Excluir
  2. Olá Ministro.

    Muito bem. Eu prefiro ficar na minha. Muita gente dá conselhos, mas nem conhece nada sobre o assunto. A pessoa deve-se seguir o que achar melhor para si.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso ai Cowboy!

      É preciso filtrar MUITO de quem ouvimos conselhos! Como você disse, o melhor mesmo é seguir o que achamos melhor pra nós mesmos!

      Abraço!

      Excluir
  3. Eu gosto de ler livros de todos os gêneros, eles nos ensinam muita coisa boa, se aplicar terá chances de ter sucesso.

    Em relação a internet, muita gente diz isso não vai dar certo, está saturado e tudo mais. O melhor mesmo é não dar ouvidos e seguir focados no nosso objetivo.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é DIL!

      Muita gente desiste de projetos promissores, seja na internet ou em qualquer outro ambiente, por medo da opinião dos outros!

      Como dizem por ai: um louco sem resultados é apenas um louco, um louco com resultados é um gênio!

      Abraço!

      Excluir
  4. Bela reflexão, Exmo., ficar longe de derrotados e pessoas que te põem pra baixo é uma ótima coisa a se fazer. Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o ponto FP!

      Não podemos deixar que pessoas derrotadas (mesmo que próximas a nós) influenciem nosso caminho ao sucesso!

      Abraço!

      Excluir
  5. Muito bem Ministro!

    Sigo a risca não ligar para a opinião dos outros. Claro que os escuto e tal. As vezes até penso sobre. Mas, no geral eu sigo meu caminho sem me importar com o que vão achar ou dizer.

    Esse é um ponto que sempre repito para a sra Inglês. Acredito que quando ela tirar essas amarras que são se importar com a opinião alheia, ela crescerá bastante.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Inglês!

      Essa "coisa" de não ligar pra opinião dos outros com certeza não é algo fácil de se fazer, mas quando começamos a nos livrar dessa amarra é muito libertador e as coisas começam a progredir de uma forma incrível!

      A verdade é que, como citou o FP ai em cima, às vezes nos pegamos cercados de pessoas fracassadas e que tendem a estranhar e opinar contra quando buscamos o sucesso.

      É como dizem por ai: temos muitas pessoas próximas a nós que nos querem ver bem, mas nem tanto...

      Abraço!
      Abraço!

      Excluir
  6. O mais importante de tudo é começar a ter autonomia de pensamento.
    Não se prender apenas a opiniões de terceiros, professores, autores, palestrantes etc.

    Mas isso só é possível ao meu ver com bom autoconhecimento (sabendo claramente o que quer pra si e o que não quer e quais preços está disposto a pagar), sendo observador e crítico no sentido positivo.
    E lógico não sendo refém de vaidade, quanto mais vaidoso maior o peso da opinião alheia.

    Mas discordo em classificar como fracassados todos aqueles que discordam ou dão opiniões com empecilhos a objetivos ou projetos.
    Primeiro porque alguns desses empecilhos podem ser verdadeiros. Não é porque alguém discorda de você ou te alerta para uma limitação ou problema que esse alguém é um fracassado, invejoso e sabotador.
    Invejosos e sabotadores existem, mas há que ser ter consciência de que é necessário discernir o que são críticas realistas ou não.
    Não caiam no erro de acharem que são donos da razão e todos que discordam merecem desprezo, avida não é 8 ou 80.

    Tem muita obra motivacional e autor motivacional caça níquel também. Gente querendo apenas surfar na onda e ganhar uns trocados.

    Tem algum projeto? Objetivo? Reflita, vejam suas possibilidades reais, reconheçam suas limitações, pensem sobre o que querem e o que não querem.
    Respeitem as outras pessoas e não parem apenas no mundo das idéias, idéias sem ações são apenas idéias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon!

      Concordo com você!

      Como eu disse no texto às vezes as pessoas que dão conselhos desmotivacionais querem o nosso bem, mas tem valores diferentes que os nossos. Ouvir conselhos de alguém que tem premissas de vida totalmente diferentes quase nunca é uma boa ideia, mas lógico que isso não quer dizer que essa pessoa é fracassada.

      Por exemplo, se eu pedir conselhos sobre a bolsa de valores para o meu pai, ele vai dizer que é muito arriscado e vai mandar eu investir na poupança ou em imóveis. Respeito a opinião dele, porém sei que nossos valores são diferentes, por isso, nesse assunto, os conselhos deles não me servem de muita coisa.

      Como eu frisei no texto, quem vive só de opinião própria, ignorando totalmente os demais, tem a forte tendência de ser apenas um idiota antissocial e egoísta. O caminho é filtrar as opiniões, saber quais são válidas ou não, mas, principalmente, confiar na sua individualidade, acima de qualquer opinião externa.

      E como você disse, é preciso respeitar a opinião de outras pessoas porém não deixar que elas sejam uma barreira. E, acima, entrar em campo, tirar as ideias do papel, fazer acontecer!

      Abraço!

      Excluir
  7. palestra motivacional só serve para quem não tem vontade, pq quem tem vontade vai lá e faz.
    já vi e li muita coisa motivacional e só serviu para me motivar a fazer o que eu queria fazer e faria de qq forma.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai Scant,

      Eu acho que conteúdos motivacionais podem ter seu valor para algumas pessoas, embora, como citei no texto, seja usado por muitos como uma forma de se auto enganar.

      Como você mesmo citou, conteúdos motivacionais te motivaram a fazer algo que você queria e faria de qualquer forma, mas, talvez estivesse procrastinando. Então, de alguma forma, esse tipo de conteúdo te ajudou.

      Abraço!

      Excluir
  8. Se nós fôssemos seguir conselhos de pessoas próximas no quesito finanças pessoais estaríamos todos aqui sem um real aplicado, devendo banco, no cheque especial..
    Infelizmente é a realidade da maioria ao nosso lado. Ainda bem que nós temos outros pensamentos e reflexões.

    Aliás sobre esse assunto que a gente tanto gosta eu já desisti de falar com pessoas próximas. Ainda bem que existem espaços hj como este, pela internet para a gente poder agregar e somar conhecimento. Se dependesse de conversarmos com pessoas próximas seria um tédio total e mtas palestras desmotivacionais pra gente lidar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Anon,

      Para alguns assuntos infelizmente não dá para contar com o apoio e/ou conselho de pessoas próximas. é preciso buscar outros redutos. E o assunto "independência financeira" é um daqueles bem específicos, difícil de conversar com alguém próximo.

      Felizmente a internet está aí sendo um veículo incrível para conectar pessoas que tem os mesmos objetivos!

      Abraço!

      Excluir