segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Se Você Nasceu em Família Pobre, Seu Problema Não é o Dinheiro!


Faaaala pessoal!

Esses dias reparei uma coisa curiosa onde trabalho e que me levou a uma reflexão pesada sobre a capacidade que as pessoas tem para ganhar, ou não, dinheiro. Deixe-me explicar.

Em qualquer ecossistema da sociedade as pessoas tendem a se organizar em castas com características semelhantes. Por exemplo, na escola os vagabundos tendem a fazer amizade com outros vagabundos, os nerds com nerds, os populares com populares e os impopulares com impopulares. Na igreja vai ser a mesma coisa, na vizinhança a mesma coisa e no trabalho a mesma coisa.

Esses dias estava reparando isso no meu trabalho: os servidores de alto escalão tendem a andar apenas com outros servidores de alto escalão, os servidores "normais" tendem a andar com outros servidores "normais", os terceirizados tendem a andar com outros terceirizados, os estagiário com estagiários, e os prestadores de serviço com outros colegas semelhantes.

Qual a relação disso com dinheiro? TODA!

Se eu me cerco apenas de pessoas semelhantes a mim a tendência é que a minha forma de enxergar as coisas seja sempre a mesma, que minha mente enxergue sempre as mesmas oportunidades e os mesmos riscos. Se eu puxar o papo "empreendedorismo" e "marketing digital" com um casal de servidores públicos em que cada um ganha R$ 10 mil, eles provavelmente farão pouco caso ou mesmo críticas sobre o assunto, já que a bolha deles (em que eles vivem bem) são aqueles dois contracheques de R$ 10 mil.

Quer ver só? Outro dia escutei duas terceirizadas conversando sobre concursos, dando conselhos uma para a outra sobre a forma como estavam estudando, quais matérias estudar, etc. Ai eu pensei: nenhuma das duas passou em qualquer concurso pra estar dando conselhos uma para outra e, ironicamente, elas trabalham num órgão com um dos concursos mais disputados do Brasil, por que não pedir conselhos para algum dos centenas de servidores que já passaram por esse desafio e que trabalham ao lado delas?

Todo mundo conhece aquele ditado que diz: você é a média das pessoas com quem convive.

Sendo assim, para crescermos em alguma área da vida o ideal é buscarmos conviver com pessoas que já chegaram lá ou que pelo menos estão no caminho certo.

Dito isso, vou ao título do post: quem nasce em família pobre precisa vencer uma coisa que é muito mais forte que a falta de dinheiro que é a...

MENTALIDADE DE POBREZA!



É muito louco mas quem não abre os olhos pra isso e vai vivendo aquela vida "pré determinada" vai deixando que suas condições econômicas as molde. Eu vejo muito isso no trabalho, os servidores efetivos (bem remunerados e a maioria de famílias com condições razoáveis) se comportam de uma maneira totalmente diferente dos terceirizados (salários baixos e famílias humildes).

Não me refiro ao preço da roupa ou ao carro que andam, mas em relação a aspectos comportamentais. A entonação da voz, o vocabulário, a forma de falar, a forma de andar, os hábitos alimentares, o tipo de roupa que vestem, a forma física, as coisas sobre as quais conversam, etc. É como se só de olhar, mesmo sem um crachá pra distinguir, você consegue identificar a qual "casta" pertence determinada pessoa.

A mesma coisa aconteceria se um grupo de jovens empresários observasse a minha casta, de servidores efetivos, iriam olhar com desdém pensando que são pessoas que trocam seu tempo por dinheiro, que tem sua renda limitada a um contracheque, que se submetem a cumprir horários em troca de um salário, que não tem liberdade, etc.

CONCLUSÃO


A moral dessa história é que um dos passos mais importantes para crescermos em uma determinada área da vida é buscar conviver com pessoas que tenham esse mesmo objetivo e, principalmente, com pessoas que já chegaram lá.

A própria blogosfera de finanças é uma forma genuína de convivermos com pessoas que estão na busca da independência financeira e com algumas que já chegaram lá.

Então se você quer passar em um concurso, troca ideia com alguém que já fez isso.
Se você quer montar um negócio digital, troca ideia com alguém que já fez isso.
Se você quer ficar sarado com barriga de tanquinho, troca ideia com alguém que já fez isso.
E se você quiser sair da pobreza, troca ideia com alguém que já fez isso.

Abraços,

Senhor Ministro

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Atualização Patrimonial Dezembro/2018: R$ 295.543,59


Faaaaala galera!

Não sei se alguém percebeu mas tirei um período sabático aqui do blog, aproveitando muita sombra e água fresca nesse final de 2018 e início de 2019. Novo ano, e renova-se a esperança de alcançar a tão sonhada independência financeira, sem deixar, claro, de ser feliz durante essa jornada!

Pois bem, financeiramente falando talvez você já tenha percebido que eu não alcancei a meta de patrimônio de R$ 300k porém cheguei muito perto disso! No fim das contas, o que importa é acreditar e seguir o processo que os resultado virão!

Como esse é o fechamento anual, eu optei por incluir na carteira os recursos parados em caixa, já que nesse final de ano, num misto de desleixo e preguiça, eu deixei um bocado de dinheiro assim. No fim das contas não deixa de ser dinheiro né?

Ademais, fui tomado por uma euforia empreendedora nos últimos tempos e no final do ano passado eu dei meu pontapé inicial num negócio online que eu vinha flertando há um tempo. Por enquanto não monetizei nada, mas a base de seguidores/curtidores está crescendo muito rápido. Pretendo até o fim de janeiro fazer minha primeira tentativa de monetização.

Na verdade essa minha euforia empreendedora não pode ser chamada de euforia pois é algo que tenho desde sempre, vide um dos primeiros posts que fiz aqui no blog (veja aqui) e que até hoje é um dos mais populares. Mas se tem algo que me deu uma impulsionada forte foi o livro "The Millionaire Fastlane", um livro que estava bem fora do meu radar mas foi uma surpresa muito positiva (embora o autor detone a teoria da ser frugal e enriquecer no longo prazo aportando parte do salário, que é o que a maioria de nós aqui fazemos).

O livro tem uma versão em português que é vendida por uma empresa de marketing (que tem a licença do livro) mas eu preferi comprar a versão em inglês na Amazon, tanto por ser mais prático comprar direto na Amazon e ler pelo app do Kindle, como para dar uma treinada no inglês e também por ser BEM mais barato (R$ 19,00). Depois pretendo fazer uma resenha do livro. Quem se interessar pode ver mais detalhes pelo link abaixo:


Vamos ao que interessa então, à carteira final de 2018 ficou da seguinte forma:





Rentabilidade foi a seguinte:


Como se pode perceber os produtos de renda fixa que seguraram a rentabilidade do ano e permitiram que eu encerrasse o ano com um número levemente positivo. Em relação as ações, apesar de ter fechado o ano com uma baixa de 10%, eu acredito na minha carteira e acho que, de uma forma geral, estou indo no caminho certo. Já em relação aos FIIs, acredito que cometi alguns erros de avaliação nos meus primeiros investimentos, mas agora tenha uma visão muito mais madura e uma capacidade de análise muito melhor.

Isso que é interessante e desafiador de medir a rentabilidade, saber discernir quando uma rentabilidade negativa da sua carteira significa apenas uma variação normal de mercado e quando significa um erro de avaliação seu. A medida que se amadurece no mercado essa percepção vai ficando mais nítida. O contrário também é verdadeiro, uma carteira positiva em um mês ou um ano, não necessariamente significa que se está indo no caminho certo, isso pode iludir algumas pessoas.

No fim das contas o mais importante é estratégia e direção: confiar na suas estratégia de investimento e seguir na direção traçada. Sem esquecer do principal: o APORTE!

Pra fechar esse post só uma observação em relação à renda passiva: eu passei uns 20 dias sem encostar aqui no blog, mesmo assim o blog me gerou, nesse período, U$ 2,00 de receita. Uma mixaria, sim, já que Adsense não é o nosso forte (nem nosso foco) aqui, porém é um simbolismo interessante do que é uma renda passiva.

That's all folks!

Feliz ano novo pra todo mundo!

Abração!

Senhor Ministro