segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Atualização Patrimonial Setembro/2018: R$ 254.687,45 (- R$ 2.714,90 ) Rentabilidade (- 2,2%)



Mais uma atualização patrimonial tardia, mais uma rentabilidade negativa e um mês sem aportes. Na verdade nesse mês de setembro fiz uma viagem internacional (EUA) então a preocupação com finanças foi muito perto de zero, até porque eu viajei no auge da valorização do dólar então liguei o "foda-se" mesmo.

Esse mês meu patrimônio variou R$ 2,7 mil pra baixo fruto apenas da desvalorização de papéis, notadamente os FIIs, que registraram queda de 12,35% em setembro. Tamanha queda foi fruto de dois fatos atípicos vinculados a dois FII's que possuo em carteira:

a) MFII11 que teve suas negociações retomadas e em virtude de toda a polêmica viu sua cotação despencar uns 40%.

b) GRLV11, um fundo com um ótimo imóvel porém é praticamente um monoinquilino (Ambev). Em setembro a Ambev notificou sua intenção de sair do imóvel, levando a cota do fundo a despencar uns 20%.

Agora em outubro voltei novamente aos estudos de mercado e aos aportes, então na próxima atualização patrimonial deve vir algo melhor do que setembro trouxe.

CARTEIRA:



Olhando esse patrimônio e pensando na meta de fechar o ano com R$ 300k, o cenário não é dos mais fáceis, faltam R$ 45 mil. Considerando que tenho uns R$ 15 mil em conta corrente esperando destinação, e desconsiderando eventuais rentabilidades positivas, eu teria que gerar novos aportes de R$ 30 mil em 3 meses, complicado, principalmente considerando as despesas de fim de ano.

RENTABILIDADE:







Como se pode perceber, mais um mês com tudo fechando no vermelho, destaque para a queda expressiva nos FIIs, como mencionei no início desse post. Outra situação que devo melhorar daqui pra frente é o excessivo saldo de dinheiro na poupança, devo transferir uma parte para TD Selic e outra parte para renda variável, ainda avalio a possibilidade de aproveitar a tendência de queda do dólar para começar uma diversificação em investimentos internacionais.

Pra quem tiver curiosidade, segue a minha carteira de renda variável no fechamento de setembro. Críticas construtivas, sugestões e dúvidas são sempre bem vindas.



Abraços,

Senhor Ministro

6 comentários:

  1. Parabéns pelo esforço.

    Excelente post!

    ResponderExcluir
  2. A carteira de renda variável (ações e fundos imobiliários) já está bem diversificada.

    A maioria dessas ações da carteira acompanho de perto são excelentes empresas.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, a medida que a carteira vai crescendo a gente vai tentando diversificar, apesar de vez ou outra rolar uma tentação de aportar mais numa cia que já se está bastante posicionado.

      Espero que estejamos certos quanto à excelência desses papéis hehe

      Abraço!

      Excluir
  3. Meu caro, não sei onde fica a sua reserva de emergência, se na corrente ou na poupança, mas como vc disse acho um valor alto pra deixar "rendendo" na poupança, e observo isso de outros relatórios anteriores já, se esse dinheiro da poupança for sua reserva de emergência já pensou em deixar em um título privado com liquidez diária ou algo do tipo que te pro porcina rendimentos melhores que a poupança?!

    Parabéns,

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Fala Luccas,

    Digamos que esse valor da poupança seria minha reserva de emergência, porém em caso de um grande crash da bolsa (a exemplo de 2008 e 2016) eu não hesitaria em utilizar esses recursos para aproveitar boas oportunidades.

    Realmente tem opções melhores que a poupança como TD Selic e CDB com liquidez diária (100% do CDI), mas a diferença não é tão expressiva assim, daí acabo nem esquentando a cabeça com isso. De qualquer forma já estou avaliando alguma mudança nesse cenário.

    Abraços!

    ResponderExcluir