segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Ficar Rico é Fácil, Difícil é Ganhar Dinheiro Todo Dia


O post de hoje é fruto de uma inquietação que sinto e que foi muito bem verbalizada por uma pessoa que sigo no Instagram. Esse cara (que eu sigo) é um jovem empresário, tem 32 anos, donos de um grupo de umas 10 empresas, e o foco dele é falar sobre empreendedorismo. Apesar de falar muitas coisas interessantes sobre negócios, o cara tem uma vida meio de playboy ostentação, apesar disso gosto das coisas que ele fala.


Recentemente eu assisti a um dos stories em que ele fez a seguinte afirmação: "ficar rico é fácil, basta ganhar R$ 10 mil e economizar R$ 9 mil, depois de 20 anos você vai estar rico. O difícil é ganhar dinheiro todo dia, esse é o desafio".

Apesar de eu achar que o objetivo da frase foi levantar aquele velho debate "ser empregado x ser dono do negócio", minha abordagem sobre essa frase será um pouco diferente.

Simplificações grosseiras à parte, essa frase me levou a algumas reflexões relacionadas ao enorme risco de vivermos sob a condição de receber salário uma vez por mês de uma única fonte de renda. Mesmo para quem é empresário ou autônomo (talvez principalmente para esses), depender de um único tipo de produto ou serviço pra lhe dar renda também pode ser uma atitude deveras arriscadas.

Quando se investe no mercado financeiro, uma das premissas básicas é a diversificação, de forma a diluir o risco. Quem faz all in em algum investimento específico geralmente é taxado de louco e tem grande possibilidade de tomar ferro (e vimos alguns se dando muito mal com all in em criptomoedas recentemente).

O mesmo princípio deve ser aplicado às nossas vidas pessoais: é arriscado confiar em uma única fonte de renda. E se seu chefe for substituído e o novo chefe não gostar do seu perfil? E se o ramo de atuação da empresa passar por uma crise? E se surgir concorrência predatória? E se a regulação estatal inviabilizar o exercício de uma profissão? E se a sua principal fonte de clientes, redes sociais, por exemplo, restringir o seu alcance?

Servidores públicos tendem a estar numa situação mais confortável em relação a esse tipo de risco, no entanto não dá pra relaxar, as coisas podem mudar de uma hora pra outra, nada é garantido. Pra essa categoria, o maior risco que vejo é de congelamento salarial, fazendo com que a inflação corroa a renda.

Tem gente que nem gosta de pensar nisso para não perder a cabeça



Por isso que, há um tempo, eu me lancei o desafio de diversificar as fontes de renda, de "ganhar dinheiro todo dia". De início parece algo incompatível, já que o nosso trabalho principal nos ocupa durante todo o dia. Para algumas pessoas essa desculpa pode até ser procedente, pois são exigidas dentro e fora do horário de trabalho, porém, para a maioria, acredito que é plenamente possível conciliar uma renda paralela.

No começo a gente fica meio travado, pois nos acostumamos a "ser" a nossa profissão principal. Somos advogados, contadores, engenheiros, médicos. Mas a verdade é que isso não nos limita, as possibilidades são imensas. Esses dias mesmo estava conversando com um colega de profissão que manja dos "paranauê" de milhas aéreas e inclusive participa de grupos especializados nisso. Os caras têm todo tipo de técnica para ganhar mais milhas e alguns faturam muito bem com isso.

Nos últimos meses minhas rendas extras não foram tão relevantes frente ao meu salário, porém o importante é dar o primeiro passo, é pensar fora da caixa. Nesse período, além da minha renda principal, obtive renda de quatro outras fontes (sem considerar as aplicações financeiras), e pretendo ao longo dos próximos meses gerar ainda mais caixa e consolidar melhor uma ou outra fonte de renda que se mostraram mais promissoras. Isso sem falar na possibilidade de implementar novas fontes de renda, já que ideias não faltam, o difícil é executá-las.

As aplicações financeiras, por si só, não deixam de ser uma forma de diversificar a renda, porém estou me desafiando a fazer mais que isso.

E você já pensou nisso?

Abraços,

Senhor Ministro

7 comentários:

  1. Fala Ministro.

    Respondendo sua pergunta. Sim já pensei em fazer algo mais.
    No começo da minha rotina de aportador pensei em arrumar algum tipo de trabalho "freelancer". Algo que pudesse ser feito em casa, como produção de texto ou algo do tipo.
    Busquei informações a respeito, mas logo desanimei porque achei poucas oportunidade para esse tipo de trabalho e em geral a remuneração era muito baixa, peloq ue vi na época já havia uma certa saturação nesse mercado.
    A partir daí foquei em aportar o máximo possível e procurar algo melhor que a caderneta de poupança.

    De uns 3 anos pra cá venho amadurecendo a ideia de empreender, porém quando comecei a vislumbrar essa hipótese, percebi que o capital que tinha disponível era limitante e que tinha que evoluir em conhecimento sobre o tema.
    É verdade também que a zona de conforto nos engessa.

    Mas enso algo sobre investimento que difere de muitos aqui da finansfera. O investimento massivo em 1 ou 2 ativos deve sim ser uma opção a ser considerada, desde que o investidor tenha total conhecimento dos riscos envolvidos.
    Vejo muitos investidores investindo em RV em 10 ações diferentes... Ou até mais.
    Isso geralmente diminui muito os ganhos. Sempre há alguma ou algumas ações que terão quedas consideráveis e puxarão a média pra baixo.
    Você diminui possíveis prejuízos, mas também diminui possíveis lucros.

    Se a pessoa conhece e confia em determinada ação, pode sim valer a pena focar em poucos ativos ou até 1 ativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon,

      Cara, sempre haverão barreiras do tipo das que você mencionou: remuneração baixa, mercado saturado, necessidade de capital, etc. Algumas delas são de fato reais, outras somos nós que criamos para justificar a nossa inércia.

      Mas claro, é opção, e vocação, de cada um querer ou não isso. Para alguns focar apenas no emprego já é suficiente, nada de errado.

      Em relação à diversificação, eu não acho uma boa opção essa concentração massiva em um ou dois ativos, principalmente porque você partiu de uma premissa errada: de que temos condição de conhecer todos os riscos envolvidos. A verdade é que não temos, o mercado é imprevisível e as coisas podem mudar completamente para um sentido que estava completamente fora do nosso radar.

      No fim das contas, pensando no longo prazo, você deve buscar apenas sobreviver na bolsa. Se você conseguir sobreviver na bolsa por 10, 20 anos, as chances de ao fim desse período estar com um bom lucro no bolso são muito grandes.

      E uma das principais técnicas de sobrevivência no mercado é justamente a diversificação.

      No entanto, se você busca um tiro médio/curto, certamente vale a pena apostar mais fichas em papéis chave, no entanto o risco é grande e isso pode custar justamente a sobrevida do investidor no mercado.

      Abraço!

      Excluir
  2. Fala Ministro!

    Renda extra é umas das minhas poucas metas para esse ano. No começo consegui algumas vendas pelo Olx, porém esse projeto parou devido meus produtos não chegarem rs

    Consegui um contrato paralelo de suporte em TI, isso já faz entrar uma pequena graninha todo mês.

    O blog também é uma esperança de renda extra, já até consegui sacar os 100 trumps. Meta é conseguir sacar isso a cada 2 meses agora. Depois quem sabe mensal, já ajudaria rsrs.

    Enfim, o legal de pensar em renda extra é que saímos da visão fechada de trabalho devido a profissão.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai Inglês!

      Vender produtos pela Olx é uma boa, ainda não fiz isso mas pretendo fazer, inclusive já tenho até o produto em mente. Vender é algo interessante, muita gente tem preconceito com vendas, mas a verdade é que todo mundo devia saber vender e experimentar a sensação de vender de vez em quando. Já trabalhei com atendimento ao público lááá no início da minha carreira e confesso que sinto falta.

      Você tá bem demais ai nos seus projetos!

      Em relação ao blog, você tá bem demais! Eu ainda estou à caminho dos meus primeiros 100 trumps, mas dei uma otimizada no adsense e estou postando com um pouco mais de frequência, já deu pra notar uma melhora significativa nas receitas.

      E vamo que vamo!

      Abraço!

      Excluir
  3. Olá SM,

    Ficar rico não é fácil. Se fosse a maioria das pessoas era.

    Sobre diversificação: Aqui na finansferas falam muito em diversificação, mas o pessoal diversifica na maioria das vezes em apenas ativos financeiros (RV e RF). Isso não chega a ser uma diversificação inteligente, pois se a economia piorar muito esses ativos vão ficarem ruins. Uma diversificação inteligente seria investir em RV, RF, imóveis, ouro físico, empresas, gado, etc. Assim os riscos são menores. Mas isso é de cada um. Na verdade o risco é do investidor e não do investimento. Um cara que sabe o que está fazendo ele sabe o que é melhor para si.

    Agbraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cowboy!

      É realmente não é fácil, na teoria pode até ser, mas na prática é outra coisa. Mas, sinceramente, eu acho que aqueles que tem consciência de atingir a IF, tem uns 80% de ficar rico se manter essa consciência no longo prazo.

      Você tocou num ponto importante, a diversificação só em ativos financeiros é perigosa, uma crise sistêmica pode colocar tudo a perder. Muita gente mitiga esse risco com investimentos no exterior, mas também é interessante pensar em meios menos ortodoxos, como os que você citou, tais como ouro, empresas, gado, etc.

      Risco sempre vai existir, por mais que o investidor saiba o que está fazendo, logicamente que com um pouco de conhecimento é possível minimizar muito os riscos!

      Abraço!

      Excluir
  4. Ministro, quem é o cara que você segue no Instagram?

    ResponderExcluir